Avaliação dos ProgramasMacroobjetivos15 - Assegurar o Acesso e a Humanização do Atendimento na SaúdeServiço de Saúde da Aeronáutica
  

Realização Física e Financeira Indicadores Custos



Atendimento a 95% das necessidades dos usuários, num universo de cerca de 5.651.000 procedimentos médicos.

Aquisição de oito ambulâncias e uma UTI Móvel.

Racionalização dos recursos humanos e materiais, com a realização de pesquisas voltadas à apuração de qualidade dos serviços nas diversas Organizações de Saúde da Aeronáutica - OSAs.

Identificação de falhas e estrangulamentos no Sistema de Saúde, no sentido de melhorar o atendimento ao usuário sem incremento nos custos.



O Programa Serviço de Saúde da Aeronáutica busca proporcionar a adequada assistência médico-hospitalar aos militares (ativos e inativos) e aos seus dependentes, assegurando o acesso e a humanização do atendimento na saúde, além de efetuar o controle das condições de saúde de aeronavegantes militares.

A Diretoria de Saúde da Aeronáutica - Dirsa é a responsável pela coordenação e pela aquisição de veículos adequadamente equipados para o transporte de pacientes, em especial nos casos de emergência, contribuindo para a sobrevida de doentes e acidentados. A Subdiretoria de Aplicações dos Recursos para Assistência Médico-Hospitalar - Saram é o órgão que responde pelo atendimento de assistência médico-sanitária, assistência médico-hospitalar e assistência odontológico-farmacêutica, aos militares e a seus dependentes. Quanto à ação "Manutenção dos Serviços Médico-Hospitalares e Odontológicos a Cargo da Aeronáutica", a Dirsa é a responsável pela ação e pela destinação dos recursos a serem aplicados na aquisição de material de consumo, equipamentos e utensílios médico, odontológico, laboratorial e hospitalar, bem como na contratação de serviços de pessoas físicas e jurídicas, todos diretamente decorrentes do atendimento aos pacientes e beneficiários do Serviço de Saúde da Aeronáutica.

Em 2001 não foram necessários recursos extras para o fechamento das contas do Sistema de Saúde da Aeronáutica - Sisau, devido à racionalização de procedimentos das unidades, apesar da inflação e da variação cambial, que influenciaram de forma significativa os custos hospitalares. Os 286.000 beneficiários do sistema foram atendidos satisfatoriamente, implicando 5.651.000 procedimentos médico-odontológicos e/ou laboratoriais. A Dirsa pretende efetuar um incremento com qualidade nos atendimentos médicos para 2002, bem como aumentar a satisfação dos clientes internos e externos do sistema. Para isso é necessário o atendimento da totalidade dos recursos solicitados na ação "Atendimento Médico-Hospitalar/Fator de Custo".

Os resultados obtidos em 2001 foram muito satisfatórios. O Sistema de Saúde da Aeronáutica - Sisau é composto de 113 unidades, sendo 37 do 1º Escalão de Atendimento de Saúde (Médicos de Esquadrões), 47 do 2º Escalão (Esquadrilhas de Saúde), seis do 3º Escalão (Hospitais de Área), três do 4º Escalão (Hospitais da Força Aérea), seis Organizações Especiais de Saúde, sete Órgãos de Coordenação Regional e sete outras Organizações que proporcionaram o atendimento a 95% das necessidades dos usuários, num universo de cerca de 5.651.000 procedimentos médicos.

Existe a percepção de que o público-alvo encontra-se satisfeito. Por orientação da Dirsa foram realizadas pesquisas nas Organizações de Saúde da Aeronáutica e constatou-se que as queixas foram se reduzindo e a satisfação com o atendimento crescendo, a cada pesquisa feita. As pesquisas são realizadas de duas formas. A primeira consiste na "Busca Ativa" que é a entrevista com os pacientes ambulatoriais, com os internados e seus acompanhantes. A outra consiste na "Busca Passiva" que é a coleta de opiniões em caixas específicas.

Fator preocupante para a implementação do programa é a inadequação dos recursos humanos. O efetivo de médicos, dentistas e farmacêuticos do quadro da ativa está aquém das necessidades. É imprescindível o aumento do efetivo de oficiais em enfermagem e de graduados de várias especialidades de saúde para guarnecer e suprir as necessidades das Organizações de Saúde da Aeronáutica e dos beneficiários do Sisau. Em relação ao efetivo do Sisau, é significativa a participação de oficiais temporários (R2): 55% dos médicos, 70% dos dentistas e 55% dos farmacêuticos, causando uma distorção em relação aos profissionais disponibilizados ao atendimento dos usuários, em função da alta rotatividade e da qualificação do início de carreira.

O Comando da Aeronáutica está implantando o Sistema Integrado de Planejamento e Gestão - SIPG, que possibilitará a captação de dados gerenciais de forma padronizada e abrangente, atingindo todas as unidades que compõem sua estrutura organizacional sistêmica. O objetivo do novo sistema é incrementar a qualidade, homogeneizar o tratamento e tornar confiável e tempestivo o acesso às informações gerenciais administrativas, logísticas, orçamentárias, financeiras e operacionais, visando à eficácia na aplicação e no controle dos seus recursos humanos, materiais e financeiros. Provavelmente o referido sistema será implantado no segundo semestre de 2002.




È importante destacar que em 2002 as ações que compõem este programa migraram para o Programa Serviço de Saúde das Forças Armadas. Portanto, é necessário maior integração entre o responsável por estas ações no âmbito do Comando da Aeronáutica e o gerente do referido programa a fim de que não ocorram prejuízos.

Na busca por uma melhor adequação dos recursos humanos aplicados na execução do programa seria pertinente verificar junto ao Comando da Aeronáutica e ao gerente do Programa Ensino Profissional da Aeronáutica a possibilidade de formação de oficiais e praças para atender às carências existentes.

A adoção do Sistema Integrado de Planejamento e Gestão - SIPG facilitará o gerenciamento do programa e permitirá elevar a qualidade e a oportunidade das informações obtidas. Enquanto o referido sistema não for disponibilizado, os resultados do programa poderiam ser divulgados no site do Comando da Aeronáutica, bem como poderia ser instituído um instrumento de consulta ao público-alvo. Faz-se necessária, ainda, a capacitação da equipe gerencial e dos coordenadores de ação em busca da melhoria da qualidade da informação prestada e da divulgação dos resultados do programa.


Serviço de Saúde da Marinha